Bexiga Hiperativa | Dr. Gustavo Battistetti | Urologista
Sangue na urina (Hematúria)
30 de julho de 2020

Bexiga hiperativa

Bexiga hiperativa não é uma doença propriamente dita e sim o nome dado a um grupo de sintomas urinários. O sintoma mais comum é a necessidade repentina e descontrolada de urinar. Algumas pessoas podem perder urina quando sentem essa necessidade. Outro sintoma é a necessidade de urinar várias vezes durante o dia e a noite. bexiga hiperativa é basicamente a sensação de que você "tem que ir" ao banheiro demais e muitas vezes com urgência.

O vazamento de urina é chamado de "incontinência". A incontinência urinária de esforço (IUE) é outro problema comum da bexiga. É diferente da Bexiga hiperativa. Pessoas com IUE perdem urina ao espirrar, rir ou realizar atividade física.

incontinencia_2

Clique aqui e

Saiba tudo sobre Incontinência Urinária


Estatísticas:

Até 30% dos homens e 40% das mulheres nos Estados Unidos vivem com sintomas de bexiga hiperativa. Muitas destas pessoas não buscam ajuda médica, ou por vergonha ou por pensarem que não há tratamentos que possam ajudar.

A verdade é que existem muitos tratamentos que podem ajudar. Perguntar ao seu médico sobre isso é o primeiro passo.


Sintomas:

  • Urgência: o principal sintoma da bexiga hiperativa, é uma vontade forte e repentina de urinar que você não pode ignorar. Essa sensação de "tenho que ir" faz você ter medo de vazar urina se não for ao banheiro imediatamente. Em alguns casos a pessoa pode chegar a perder urina. Esta situação é chamada de “incontinência de urgência” quando a urina vaza ao sentir vontade repentina de ir ao banheiro. Isso não é o mesmo que incontinência urinária de esforço ou IUE. Pessoas com IUE perdem urina ao espirrar, rir ou fazer atividade física.

  • Urinar freqüentemente: Você pode precisar ir ao banheiro muitas vezes durante o dia. O número de vezes que alguém urina varia de pessoa para pessoa. Muitos especialistas concordam que ir ao banheiro mais de oito vezes em 24 horas é "urinar com frequência".

  • Acorde à noite para urinar. Se você tem que acordar para ir ao banheiro mais de uma vez por noite, é um sintoma de Bexiga hiperativa ou noctúria.


Causas:

Normalmente, quando a bexiga está cheia de urina, o cérebro envia um sinal para a bexiga fazendo com que os músculos da bexiga se contraem forçando a urina sair pela uretra. O esfíncter da uretra se abre e a urina flui. Quando a bexiga não está cheia ela está relaxada.

Com uma bexiga saudável, os sinais em seu cérebro permitem que você saiba que sua bexiga está ficando cheia ou já está cheia. Além disso você consegue esperar para ir ao banheiro. Com Bexiga hiperativa você não consegue esperar. Você sente uma necessidade repentina e urgente de urinar. Isso pode acontecer mesmo que sua bexiga não esteja cheia.

Se os sinais nervosos entre a bexiga e o cérebro não funcionarem corretamente, pode ocorrer a “bexiga hiperativa”. Os sinais podem dizer à bexiga para esvaziar, mesmo quando não está cheia. Bexiga hiperativa também pode ser causada quando os músculos da bexiga estão muito ativos. Isso significa que os músculos da bexiga se contraem para urinar antes que ela esteja cheia causando uma necessidade repentina e forte de urinar. Chamamos isso de "urgência".


Fatores de risco:

  • Distúrbios neurológicos ou danos aos sinais entre o cérebro e a bexiga

  • Mudanças hormonais

  • Fraqueza muscular pélvica ou espasmos

  • Infecção do trato urinário

  • Efeito colateral de algum medicamento.

  • Doenças que afetam o cérebro ou a medula espinhal, como AVC, Parkinson e esclerose múltipla


Como a bexiga hiperativa pode afetar sua vida:

A Bexiga hiperativa pode atrapalhar seu trabalho, vida social, exercícios e sono. Sem tratamento, os sintomas de bexiga hiperativa podem tornar o seu dia-a-dia muito difícil. Você pode não querer sair com os amigos ou ir para longe de casa porque tem medo de ficar longe do banheiro. Isso faz com que muitas pessoas se sintam solitárias e isoladas.

Bexiga hiperativa pode afetar o relacionamento com amigos e familiares. Pode atrapalhar seu sono e sua vida sexual. Poucas horas de sono deixam qualquer pessoa cansada e deprimida. Além disso, se você “perde urina”, pode desenvolver problemas de pele ou infecções.

Você não tem que deixar a bexiga hiperativa controlar sua vida. isso tem tratamento. Se você acha que tem bexiga hiperativa consulte um especialista.

 

A verdade sobre o Bexiga hiperativa:

  • Não é uma parte normal do envelhecimento.

  • Não é apenas parte de ser mulher.

  • Não é apenas um problema com a próstata.

  • Não é causado por algo que você fez.

  • A cirurgia não é o único tratamento.

 

Existem tratamentos para ajudar as pessoas a controlar os sintomas da bexiga hiperativa.


Diagnóstico:

Seu exame começará com alguma perguntas pelo seu médico. Você deve contar a ele as características dos seus sintomas como: há quanto tempo você os tem e como eles estão mudando sua vida. O exame clínico também incluirá perguntas sobre seus problemas de saúde anteriores e atuais. Você deve trazer uma lista com todos os medicamentos que utiliza. Também deve informar ao seu médico sobre sua dieta e sobre quanto e quais tipos de líquidos você toma durante o dia e a noite.


Exame físico:

Seu médico irá te examinar procurando algo que possa estar causando os sintomas. Esses exames freqüentemente incluem avaliação do abdômen, órgãos pélvicos e reto.


Diário Miccional:

Pode ser solicitado que você faça anotações a respeito das duas micções por alguns dias. Essas anotações deve incluir a frequência com que vai ao banheiro, se acorda para ir ao banheiro, se tem perdas de urina, se sente urgência em ir ao banheiro e a quantidade de urina por micção. Isso ajudará a compreender mais sobre seus sintomas do dia a dia.


Outros exames frequência solicitados:

  • Exames de urina simples e urocultura.

  • Ultrassom de rim e bexiga (É importante que durante esse exame seja avaliado o resíduo pós miccional, ou seja, quanto sobra urina na bexiga após ir ao banheiro).

 

Exames adicionais como cistoscopia ou estudo urodinâmico, geralmente não são necessários, mas podem ser usados dependendo de cada caso.


Tratamento:

Existem várias linhas de tratamento para controlar a bexiga hiperativa. Dependendo de cada caso alguma delas pode ser mais adequada.

O tratamento é iniciado pelas linhas mais simples e pode ser progredido para as linhas mais complexas conforme a necessidade.

 

São elas:

  • Mudanças de estilo de vida: Essas mudanças também podem ser chamadas de terapia comportamental. Mudança na dieta (evitando ingerir alimentos e bebidas que são irritantes para a bexiga e diuréticos), controle da ingesta hídrica, idas ao banheiro de forma programada, exercícios e/ou fisioterapia para fortalecer a musculatura do assoalho pélvico. Muitas pessoas observam uma importante melhora dos sintomas com estas medidas

  • Medicamentos: Quando as mudanças no estilo de vida não são suficientes, o próximo passo pode ser tomar um remédio. Existem vários tipos de medicamentos que podem relaxar os músculos da bexiga. Esses medicamentos, como antimuscarínicos e agonistas beta-3, podem ajudar a impedir que a bexiga contraia quando ainda não está cheia.

  • Tratamento com botox na bexiga: Se as mudanças no estilo de vida e os medicamentos não estiverem funcionando, podem ser oferecidas injeções de botox na musculatura da bexiga, evitando assim, as contrações indesejadas. Para colocar a toxina botulínica na bexiga, o urologista usará um cistoscópio introduzido na bexiga para que possa ver o seu interior. Em seguida, o médico injetará pequenas quantidades de toxina botulínica no músculo da bexiga. Este procedimento pode ser realizado no consultório ou no centro cirúrgico com sedação. Um inconveniente desse tratamento é que, como os efeitos do Botox não são permanentes, a aplicação deve ser repetida quando os sintomas de bexiga hiperativa retornarem. Geralmente isso leva de 6 a 9 meses dependendo de cada caso.

  • Estimulação nervosa: Outro tratamento para pessoas que precisam de ajuda extra é a estimulação nervosa, também chamada de terapia de neuromodulação. Esse tipo de tratamento envia impulsos elétricos aos nervos que compartilham o mesmo caminho para a bexiga. Na bexiga hiperativa os sinais nervosos entre a bexiga e o cérebro não se comunicam corretamente. Esses impulsos elétricos ajudam o cérebro e os nervos da bexiga a se comunicarem para que ela possa funcionar adequadamente e melhorar os sintomas. Existem dois tipos:

    > Eetroestimulação percutânea no nervo tibial posterior (PTNS): coloca-se um pequeno eletrodo na parte inferior da perna, próximo ao tornozelo. Ele envia impulso elétrico ao nervo tibial. O nervo tibial corre ao longo do joelho até os nervos da parte inferior das costas que controlam a bexiga. Através desses impulsos pode-se melhorar os sinais que não estão funcionando direito. Esse tratamento é realizado em sessões semanais de 30 minutos por 12 semanas.

    > Neuromodulação sacral: age mudando a forma como nervo sacral funciona. Este nervo transporta sinais entre a medula e a bexiga. Sua função é ajudar a reter e liberar a urina. Na bexiga hiperativa esses sinais nervosos não estão fazendo o que deveriam. Neste procedimento usa-se um marca-passo de bexiga para controlar esses sinais e interromper os sintomas.

  • Cirurgias: A cirurgia só é usada em casos muito raros e graves. Existem dois tipos de cirurgia disponíveis. A cistoplastia de aumento da bexiga e a derivação urinária (redireciona o fluxo de urina). Existem muitos riscos para essas cirurgias, por isso ela é oferecida apenas em casos extremamente graves que não responde a nenhuma outra opção de tratamento.


Procure sempre um especialista para esclarecer todas as suas dúvidas, e um urologista poderá te orientar da melhor forma

#Compartilhe essa informação para ajudar mais pessoas.



Gustavo Battistetti - Doctoralia.com.br